Rondônia, Hoje é

Caso Nicolas Naitz: líder da bancada federal de Rondônia relembra seis anos do desaparecimento de bebê em maternidade particular da Capital

Postado Dia maio 22nd, 2020

O hospital Regina Pacis, palco de uma das histórias mais emblemáticas de Rondônia, foi vendido para o Estado por R$ 12 milhões em decorrência do Coronavírus

O deputado federal Lúcio Mosquini, do MDB, líder da bancada federal de Rondônia, relembrou, na manhã desta sexta-feira (22), os seis anos do desaparecimento do bebê Nicolas Naitz.

Nicolas Naitz desapareceu da maternidade Regina Pacis, em Porto Velho, em maio de 2014; desde então, sua mãe, Marciele Naitz, tem travado uma batalha incessantem em busca de respostas.

O jornal eletrônico Rondônia Dinâmica acompanha a situação desde que fora deflagrada e chegou a apresentar versão alternativa dos fatos narrados pela Polícia Civil (PC/RO) à época da conclusão do inquérito.

RELEMBRE
Caso Nicolas Naitz: a linha de investigação que – quase – ficou para trás

A pedido do Ministério Público (MP/RO), o inquérito continua aberto, hoje sob incumbência do promotor de Justiça Adilson Donizete da Silva.

A maternidade particular Regina Pacis foi recentemente vendida para o Estado de Rondônia por R$ 12 milhões em decorrência da pandemia voltada ao novo Coronavírus (COVID-19/SARS-CoV-2).

Em seu Facebook, Mosquini, parlamentar emedebista, destacou:

” O nascimento de Nicolas ocorreu no hospital da cidade, e, de lá, Marcieli e Nicolas foram encaminhados para Porto Velho. A mãe foi direto para o Hospital de Base (HB) e o bebê foi internado no Hospital Infantil Cosme Damião”.

Em seguida, disse:

“Do Hospital Cosme Damião, Nicolas foi encaminhado para a Unidade de Terapia Intensiva (UTI) neonatal da maternidade Regina Pacis, desde a internação no HB, Marcieli não viu mais o filho. Já se passaram seis anos e o caso continua sem respostas concretas”.

E concluiu:

“Há um ano estive com a ministra da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos, Damares Alves, na oportunidade apresentei a ela Marciele Naitz, mãe do pequeno Nicolas, que lhe contou tada história, e pedimos a ministra que as investigações sobre esse caso fossem federalizadas. Ainda temos esperança em Deus, que o pequeno Nicolas, hoje completando seis anos, retornará para os braços de sua mamãe”.

Marciele Naitz também se manifestou sobre a data:

Veja a íntegra da postagem de Mosquini:

banner 2pe