Rondônia, Hoje é

PF deflagra Operação contra fraude em licitações nas Prefeituras de Rondônia

Postado Dia dezembro 18th, 2019


Cerca de 60 policiais federais estão cumprindo 14 mandados em Vilhena, Nova Brasilândia d’Oeste, Machadinho D´Oeste, Rolim de Moura, Porto Velho e Brasília (DF)

A Polícia Federal PF) deflagrou nesta quarta-feira (18), a Operação Dreno, tendo como objetivo coibir crimes de corrupção no estado de Rondônia praticados por suposta organização criminosa sediada na cidade de Vilhena (RO), a qual atuava principalmente na fraude a licitações da Prefeitura na gestão anterior.

Segundo a PF, cerca de 60 policiais federais estão cumprindo 14 mandados de busca e apreensão nas cidades de Vilhena (RO), Nova Brasilândia d’Oeste (RO), Machadinho d’Oeste (RO), Rolim de Moura (RO), Porto Velho (RO) e Brasília (DF). 

De acordo com informações extra-oficiais, um ex-senador de Rondônia está entre os investigados. A identidade do político e dos empresários investigados não foram divulgadas.

Também foi determinado o sequestro de bens e valores dos investigados, no montante de aproximadamente R$ 4,2 milhões. As medidas cautelares cumpridas na data de hoje foram expedidas pela Justiça Eleitoral de Vilhena (RO).

Conforme as investigações, iniciadas em 2015, a organização criminosa possuía estrutura e articulação suficiente dentro de entes públicos para fraudar licitações e auferir vantagens indevidas, especificamente na contratação de empresa especializada para a execução de sistema de macrodrenagem-galerias de águas pluviais e canais de drenagem urbana em Vilhena (RO), com recursos procedentes do Ministério das Cidades e repassados ao município.

As fraudes em procedimentos licitatórios envolveram empresas da região que tinham por finalidade sagrarem-se vencedoras nos certames envolvendo obras públicas executadas pela Prefeitura de Vilhena (RO), através de acordo prévio de preços e de propostas. Além do prévio favorecimento, as empresas vinculadas à organização criminosa, também obtinham vantagens indevidas em aditivos de obras já licitadas.

Os indiciados responderão, na medida de sua participação, pelos crimes de corrupção ativa e passiva, crimes licitatórios, lavagem de dinheiro e associação criminosa.

Fonte: Polícia Federal

banner 2pe